A União dos Povos em Cristo: Uma Reflexão sobre Efésios 2:11-13

A União dos Povos em Cristo: Uma Reflexão sobre Efésios 2:11-13

Efésios 2:11-13 é um trecho da Bíblia que fala sobre a união dos povos em Cristo, mostrando como a morte e a ressurreição de Jesus tornaram possível a reconciliação entre judeus e gentios, que antes estavam separados por barreiras culturais e religiosas. 

"Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens;
Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.
Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto."
Efésios 2:11-13

Esse ensinamento é fundamental para compreendermos o que significa ser parte do corpo de Cristo, e como devemos agir em relação aos nossos irmãos e irmãs em Cristo. Neste texto, iremos explorar esses ensinamentos bíblicos e sua aplicação prática em nossas vidas diárias.

Compreendendo a Unidade em Meio à Diversidade

A Bíblia é um livro que fala sobre a relação entre Deus e a humanidade, e como os seres humanos devem se relacionar uns com os outros. Em Efésios 2:11-13, o apóstolo Paulo aborda a questão da união dos povos em Cristo. 

Ele nos mostra que em Cristo, todas as barreiras que separam os povos são quebradas, e que agora somos todos um só povo, uma só família, unidos pelo sangue de Jesus. Neste texto, vamos explorar o que significa essa união na prática do dia a dia.

Compreendendo a Diversidade: Romanos 2:28, 29 e Colossenses 3:11

Para entender a união dos povos em Cristo, é preciso antes compreender a diversidade que existe entre as pessoas. A Bíblia nos ensina que a diversidade é um aspecto importante da criação de Deus, e que Ele ama e valoriza a todos, independentemente de suas diferenças. Em Romanos 2:28, 29, Paulo ensina que o que importa não é a circuncisão exterior, mas sim a circuncisão do coração. 

Isso significa que não importa se somos judeus ou gentios, se somos circuncidados ou não, mas sim se temos um coração transformado por Deus. Em Colossenses 3:11, Paulo diz que em Cristo, não há diferença entre judeus, gregos, escravos, livres, homens ou mulheres. Todos somos um em Cristo Jesus.

A Necessidade de Reconciliação: Colossenses 1:21 e João 10:16

No entanto, mesmo que sejamos todos iguais em Cristo, a realidade é que existem barreiras que nos separam uns dos outros. A história da humanidade é marcada por conflitos e divisões entre os povos. Em Colossenses 1:21, Paulo nos lembra que antes de conhecermos a Cristo, éramos estranhos e inimigos uns dos outros. 

Mas em Cristo, somos reconciliados com Deus e uns com os outros. Em João 10:16, Jesus fala sobre a necessidade de agregar as ovelhas que não são deste aprisco, ou seja, de reunir as pessoas que estão separadas umas das outras. Isso é o que a reconciliação em Cristo faz: une o que estava separado.

A Unidade em Ação: Atos 2:39

A união dos povos em Cristo não é apenas uma ideia teológica, mas uma realidade que deve ser vivida no dia a dia. Em Atos 2:39, Pedro diz que a promessa de Deus é para todos aqueles que Ele chama, não importando a sua raça, língua ou nacionalidade. Isso significa que devemos acolher e amar a todos, sem preconceitos ou discriminações. 

Devemos buscar a unidade em nossas igrejas, em nossas comunidades e em nossas relações pessoais. Devemos nos esforçar para superar as barreiras que nos separam, e trabalhar juntos para construir um mundo mais justo e fraterno.

Aplicação Prática: Ezequiel 13:9

Mas como podemos aplicar esses ensinamentos bíblicos em nossa vida diária? Em Ezequiel 13:9, Deus repreende os profetas que falam falsamente em Seu nome, que prometem paz quando não há paz. Isso nos ensina que não basta falar sobre a união dos povos em Cristo, é preciso colocá-la em prática.

Devemos ser agentes de paz em nossos relacionamentos, buscando a reconciliação em vez do conflito. Devemos ser ativos em nossa comunidade, trabalhando para combater o racismo, a discriminação e a injustiça social. Devemos ser uma voz profética em nossa sociedade, defendendo os direitos dos mais vulneráveis e promovendo a dignidade humana.

Conclusão

Em resumo, a união dos povos em Cristo é uma realidade que deve ser vivida em nossas vidas diárias. Devemos compreender a diversidade que existe entre as pessoas, buscar a reconciliação com aqueles que estão separados de nós e trabalhar para construir uma comunidade mais unida e fraterna. Que possamos ser agentes de paz e de justiça em nosso mundo, em nome de Cristo, que nos reconciliou com Deus e uns com os outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário